menu
Topo
Frequência Modulada

Frequência Modulada

Histórico

Bruce Williams: The Real Doctor's Advocate [Parte 2]

Frequência Modulada

20/11/2018 16h52

Na parte 2 da entrevista, Bruce Williams fala sobre Suge e Biggie, (parte da) verdade sobre Tupac, os mal entendidos da treta entre Pac/Suge/Dre, a saída da Death Row e outros assuntos.

 

"Chegamos na festa de Natal de 1995 na Death Row, e o clima não era bom. Parecia uma convenção de vagabundos. Todos os drinques de primeira linha estavam no segundo andar, então começamos a subir as escadas e ouvi alguns sons estranhos. E descobrimos que era Suge mandando todo mundo sair da sala… De repente aparece Tupac com alguns bandidos do Suge e um cara da banca do Puffy Daddy. A treta entre eles tinha aumentado após o The Source Awards. Tupac acusava Biggie de ter armado pra ele e ser responsável pelos tiros que ele levou… eram tempos de guerra, então se você era da banca do Puffy não tinha porque estar numa festa da Death Row. Eles colocaram o maluco em uma cadeira e começaram a bater bastante nele.

'Onde é a casa da mãe do Puffy?' Suge perguntava pro maluco" pág 77

 

HipHopDX: Quem vocè acha que foi o culpado pela treta entre East Coast/West Coast? A midia, os artistas ou os fãs?

Williams: Aconteceram muitas coisas nessa treta. A mídia fez a parte dela. Hip-Hop é a única forma de entretenimento conectado às ruas, sendo assim, os manos levam as coisas a sério. Tinha vários rappers que não conseguiam vender discos. Quando a treta começou, todos os rappers que não conseguiam vender discos diziam "Foda-se a East Coast", assim os fãs diziam o mesmo e eles ganhavam um certo reconhecimento. O mesmo aconteceu na East Coast. Isso fez as coisas chegar em um patamar que ninguém imaginava. Os manos das ruas se envolveram.

 

HipHopDX: Houve alguma conversa entre B.I.G. e Suge antes do The Source Awards?

 Williams: Sempre foi assim. Sempre eram conversas sobre paz. Esse é o mundo da música e você tem que vender discos. Suge achou que Puffy tinha copiado o The Chronic e não deu os créditos para a Death Row. Ele estava bravo com isso. Ele estava bravo e como ninguém dizia nada, ele achou um espaço e falou tudo que tinha para falar. Foi assim que tudo começou.

 

HipHopDX: Suge alguma vez deu algum sinal de que assinaria com Biggie?

Williams: Suge queria contratar qualquer um que vendesse discos para a Death Row. Ele não é louco. Ele só pensa em dinheiro. Ele poderia ficar dizendo "Foda-se B.I.G." o dia inteiro, mas se ele pudesse trazê-lo para a Death Row? "Vamos lá mano, demorou!" Esse é o jogo. Vemos isso todos os dias. Esses malucos xingam um ao outro o tempo todo. Na próxima vez que você vê os dois, eles estão se abraçando. O jogo é assim. Não existe lado pessoal.

 

HipHopDX: Houve realmente uma treta entre Suge e Pac com o Dr. Dre?

Williams:  Imagina Dre e Pac sem o Suge. A treta entre Pac e Dre foi fabricada. Nunca houve nada entre eles. Nós vimos Suge em Malibu e conversamos e foi cada um pro seu lado. Se Suge tivesse feito algo conosco, as pessoas ficariam em cima dele. Não seria legal.

"Sam Sneed estava a caminho de uma reunião na Death Row marcada em cima da hora, ele foi informado por um lacaio de voz estranha. Ele parou no meio do caminho porque algo parecia estranho. E eu e Dre dizíamos para Sam confiar em seus instintos e não ir até lá.

'Sam, você é um otário se você for nessa reunião.' Dre disse para ele

'Mano, não vá até essa reunião. Você sabe o que vai acontecer.' eu falei para ele também.

…'Estou falando sério, não vá para essa reunião,' eu insistia para o Sam Sneed

'Você sabe que nós saimos da Death Row. Você tá ligado que eles sabem que você quer ficar com a gente. Não acho uma boa idéia você ir lá.' Dre insistia

Bom, ele não quis nos ouvir. Ele estava tentando se impor. Então ele foi para o Can-Am Studio para mostrar o seu video da música 'U Better Recognize' – página 101

"O video estilizado em preto e branco (Sam Sneed – U Better Recognize) começou a rodar, e logo no começo tinha Dre rimando, como esperado. A sala estava lotada, como esperado… Mas a música soava como uma música da Death Row, era uma produção do Dr. Dre. E Dre estava fazendo o refrão. Isso já era ruim o suficiente para ele. E então começou a aparecer vários malucos da East Coast no video. Primeiro alguns malucos que jogam basquete, nomes conhecidos para quem era do Brooklyn.

Então Tupac disse, 'Se eu ver mais um maluco da East Coast nessa porra…'

…Então aparece o Kool G Rap no video.

'Que porra é essa!' gritou Tupac

Foi o chamado para que todos fossem pra cima de San Sneed, ele foi espancado.

…Suge fez com que Sneed fosse a uma festa de Snoop naquela noite. Ele fez uma rápida aparição. Então ele voltou para Pittsburgh. Sam Sneed nunca mais foi o mesmo. Death Row nunca lançou seu album. Logo depois ele teve que fazer cirurgia no cérebro por causa do espancamento, e para que ele pudesse voltar ao normal e ter um pouco de sanidade". – páginas 102-103

 


HipHopDX: Como a peça central dessa treta, Tupac era o mesmo homem que a mídia descrevia?

Williams: Pac era um mano muito equilibrado. Você poderia falar sobre qualquer coisa com ele. O único problema do Pac é que ele tinha muitos homens que só sabiam dizer "sim" para ele. Não tinha ninguém para pegá-lo pela manga e dizer, "Já nos divertimos bastante, vamos embora". Pac iria se tornar um político. Ele rimava sobre batidas ruins e as tornava loucas. Você ouve Pac para ouvir o que ele tem a dizer. Quantos rappers você realmente ouve para saber o que ele tem a dizer. Como Eminem. Ninguém se importa com sua música, só querem saber o que ela tem a dizer.

 

HipHopDX: Houve algum tempo que você achou que Pac/Suge/Dre poderiam se reconciliar?

Williams: Antes do incidente no Vibe Awards Show onde um homem foi esfaqueado, Dre se virou para mim e disse, "Eu acho que vou fazer algo com o Suge, somos jovens negros que fizemos tantas coisas boas juntos, talvez possamos esquecer a treta", então aconteceu a treta no Vibe Awards e um homem foi esfaqueado por Young Buck.

 

HipHopDX: Qual foi a atmosfera após a saida de Dre da Death Row?

Williams: Íamos direto na casa do Jimmy Iovine para pensar no que iriamos fazer. Então Dre fez uma reunião em sua casa para avisar que iria sair da Death Row. Sua mãe iria criar uma marca de roupa. Eu e Phillip Atwell iríamos fazer filmes. Eu iria ajudar Dre a organizar a Aftermath. Eu criei a Aftermath junto com o Dre. No começo o nome seria Black Market. Havia uma compania em San Francisco com o mesmo nome e eles queriam milhões por isso. Então mudamos o nome e colocamos Aftermath.

 

HipHopDX: Qual é seu papel agora?

Williams: O que eu fazia por Dre ia além do papel de assistente. Ele não era só o meu patrão, ele era meu melhor amigo. Eu fazia de tudo. Tudo que fazem na Aftermath, eu fiz por Dre na Death Row. Quando criamos a Aftermath contratei algumas pessoas para facilitar o meu trabalho. Meu trabalho na Aftermath era Vice Presidente de Operações, embora Dre tenha dito que eu poderia colocar o nome que eu achasse melhor.

 

HipHopDX: Vamos falar de dinheiro. A situação financeira melhorou?

Williams: Dre nunca teve contrato com a Death Row. Ele era o co-proprietário. Ele tinha contrato com a Interscope e Jimmy. Quando Dre saiu a situação mudou. Ele ganhou mais na Aftermath. Suge tinha uma garagem cheia de carros e Dre só tinha dois. Ele não ganhava dinheiro de verdade até criar a Aftermath.

 

HipHopDX: Em seu livro você diz que "Dre não é um homem de negócios". Alguns podem achar que isso é desrespeito com Dre…

Williams: Quando eu digo Dre não é um homem de negócios, eu disse isso porque ele é um produtor e um homem que ama a música. Dre ama o estúdio. Ele não quer fazer nada além disso. Ele amadureceu mais que o Hip-Hop. Ele teve a idéia de misturar ópera e Hip-Hop e foi fenomenal. Uma vez ele queria fazer um álbum instrumental sobre os planetas. Ele queria ser conhecido por algo maior que apenas um cantor de Hip-Hop. Ele queria que sua música fosse tema de estudo para professores. Desde que ele aprendeu a tocar violão e aprendeu a ler a música, isto lhe revelou um outro mundo.

"Alguns podem pensar que após escaparmos da crueldade diária dos Bloods na Death Row, que tudo seria uma maravilha na Aftermath, mas isso não é verdade. Aconteciam algumas coisas sujas na Interscope também, a diferença é que os espancamentos aconteciam nas salas de reuniões ao invés das vielas." – páginas 112-113

 

HipHopDX: Qual a diferença entre Death Row e Aftermath?

Williams: Suge era uma pessoa que todos tinham medo. Sendo assim, isso afastava os problemas de lá. Sem mesquinharia. Isso não acontecia na Death Row. Quando mudamos para a Aftermath, não tínhamos a grande presença que Suge tinha, então cada um seguia um caminho. Todos queriam ser o homem. Algumas pessoas queriam ser tão próximas do Dre quanto eu. Muita falsidade e eu não queria mais fazer parte disso. Embora na Death Row o regime era gangsta, lá era um pouco melhor. Na Aftermath quem manda é o Jimmy, o que ele diz, é o que vai ser e fim de papo.

 

HipHopDX: Dre teve outras propostas de contrato? E por que ficar junto com Jimmy Iovine?

 Williams: Dre recusou várias propostas. Jimmy foi o cara que ele escolheu. E o motivo disso é que quando Dre fez "Deep Cover", ele foi em várias gravadoras e nenhuma delas lhe deu um contrato. Sony disse para o Dre "Não vejo ninguém abrindo as portas para você". Jimmy foi o único que deu um contrato para o Dre.

"'Eu não quero falar com esse cara', Jimmy Iovine disse para a secretária. Eu fiquei chocado. O cara era Gerardo Mejia, que tinha feito a música "Rico Suave", essa música deu caminhões de dinheiro para Jimmy quando a Interscope estava no vermelho.

Essa foi a minha primeira lição nesse jogo, e a lição é que esse jogo não tem espaço para amizades, é tudo negócios.

A segunda lição é a próxima. Jimmy atendia várias ligações e desligava na cara das pessoas. Ele estava bravo, e respondia a todas as perguntas com um sonoro, 'claro que não!'

Eu perguntei para Jimmy o que aconteceria se alguém falasse assim com ele.

'Eu daria um aumento para essa pessoa' Jimmy me respondeu

'Daria um aumento?' eu perguntei meio confuso

'Sim, um grande aumento e o encorajaria a comprar uma grande casa. Então quando ele estivesse com o seu orçamento compromissado, eu iria demiti-lo' disse Jimmy

Eu comecei a entender.

'Porque após isso, a vida de sua familia estaria destruída. Ele não ia mais pegar buceta. Nada. Isso mesmo, lhe daria um aumento' finalizou Jimmy Iovine" – páginas 152-153

 

HipHopDX: Há vários rumores de que Dre não produzia suas próprias músicas. Você esteve lá quando algumas das melhores músicas do Hip-Hop foram feitas. Tem alguma verdade nisso?

Williams: Dre é um puta produtor e mixador. Um maluco pode tirar vários sons de uma batida, e Dre pode mudar todo o conceito da batida e fazer algo fenomenal. Mel Man é fenomenal com a drum machine, a desavença entre os dois não foi por causa de música, foi por dinheiro. Mel e todos nós erámos como família. Fazíamos tudo juntos. Mel estava sem dinheiro e foi falar com o Dre para ele lhe dar mais algum dinheiro. Dre não lhe deu o dinheiro que ele queria e foi aí que começou a desavença, até ele partir com Big Chuck. Mel pensou que quando ele foi embora com Big Chuck, se não desse certo, ele poderia voltar a trabalhar com Dre. Mas Dre disse que não trabalharia mais com Mel Man. Mas recentemente, Mel começou a trabalhar com Dre novamente, tem uns três ou quatro meses.O grande problema do Dre é sua comunicação. Dre era o cara legal, e eu era o cara mau. Ele não sabe dizer não ou te xingar se for preciso.

 

HipHopDX: Com qual frequência você tinha que dizer "não" para pessoas que queriam uma batida do Dre?

Williams: O tempo todo mano. Desde Madonna até o Michael Jackson. Dre prefere trabalhar com um novo artista do que um artista conhecido. Dre não ia querer Madonna ou MJ lhe dizendo "Eu não gosto disso, me dê outra batida." Michael Jackson nunca teve uma batida do Dre por um único motivo: Se você não pode andar com Dre, então você não pode fazer música com ele. Eu tinha que falar não para tanta gente. Às vezes eu aumentava o preço da batida para 1 milhão e eles diziam, "Vou falar com o meu pessoal e depois eu retorno", e eu me sentava e pensava "Ah não, não acredito que eles vão pagar tudo isso".

Dre nunca cobrou isso. Se ele gostasse de você ele cobrava bem menos. Olhe o que ele fez por Xzibit [Man Vs. Machine]. Ele não precisava ser o produtor executivo dele quando ele estava na Loud Records. Mas ele gostou do X e do que ele estava fazendo.

 

Nesse mercado TUDO são negócios, já imaginávamos não é? Mas calma, semana que vem tem mais.

Sobre os autores

Fabio Lafa escreve textos, podcaster, pesquisador musical e consultor em music branding.

Nyack é Dj, pesquisador musical e beatmaker.

Juliano BigBoss é estudioso do marcado do rap, pesquisador, produtor artístico e executivo.

Sobre o blog

Papo semanal e bem descontraído sobre os ritmos que movem cidades. Dicas e mapeamento de cenários musicais - clássicos e emergentes, do analógico ao eletrônico.