Blog do FM

Topo
Frequência Modulada

Frequência Modulada

Michael Jackson e as jóias perdidas

Frequência Modulada

30/08/2018 16h10

O Deus da música pop faria 60 anos ontem e não faltaram homenagens, obviamente. Do nosso lado aqui, paramos pra separar algumas das interpretações e aparições escondidas – vê só:

"Get It", duo com Stevie Wonder:

A parceria deles é antiga, desde os tempos de Motown. E Stevie sempre ofertou belas letras a Michael (exemplo da linda I Can't Help it, de 1979 que saiu no Off the Wall). Em "Get It" inicialmente ofertada ao Jackson 5 em 1987,  o duo com  Stevie Wonder veio já temperado na temática de produção ofertada por Babyface e Teddy Riley – Já falamos sobre isso…

"Say Say Say", duo com Paul McCartney:

Outra parceria de música e vida foram entre esses dois. Além da clássica "The Girl is Mine", gravaram um single em 1983, que logo foi incluso no album Pipes of Piece, de Paul McCartney. Produção assinada por George Martin (tido como quinto Beatle) e aparições de Linda McCartney (primeira esposa de Paul) e LaToya Jackson, irmã mais nova do rei.

"Ease On Down The Road", duo com Diana Ross

A canção com Diana Ross foi trilha sonora do musical The Wiz de 1978, totalmente inspirado no clássico do cinema O Mundo Mágico de Oz adaptado para a audiência afro-americana, teve um fato interessante: durante a produção da trilha sonora, Michael Jackson procurava alguém para assinar alguém paras assinar a produção de seu primeiro álbum solo ao sair da Motown e, falou com o produtor chefe da trilha sonora de The Wiz. Esse, rapidamente disse a Michael: "Você procura alguém para produzir seu solo? Que tal se eu o produzisse?" Michael rapidamente aceitou. E foi dessa forma, que Quincy Jones assumiu a produção de Off the Wall, em 1979.E já que estamos falando em Quincy Jones…

A versão demo de "P.Y.T. (Pretty Young Thing)"

Talvez uma das mais belas jóias perdidas que Michael nos deixou. Claro que estamos falando de um dos grandes hits que saíram do Thriller, mas sem dúvida produtor e gênio Quincy Jones teve horas talvez semanas de indecisão sobre qual versão incorporaria o álbum.

Rockwell, "Somebody is watching me"

Os anos 80 são cheios de artistas de um único e explosivo hit. Foi o caso do cantor e compositor Kennedy William Gordy é filho do patrono da Motown Records Berry Gordy. Até por conta disso, ele sempre foi relutante quanto a assinar o próprio filho como um de seus artistas. Pois durante as sessões de estúdio, além de trocar para um nome artístico Rockwell, contou com a participação dos irmãos Michael e Jermaine no refrão.

Essa fita demo subiu para a mesa de Berry Gordy e, ao ouvi-la gostou muito do que o desconhecido Rockwell entregava naquela faixa e, pediu para que fossem atrás desse artista com o contrato batido – sem saber que se tratava se seu próprio filho…

"Whatzapwitu", com Eddie Murphy

Sim você não errado, Eddie Murphy. Pois que em 1993 o gênio da comédia lança um álbum de seis faixas chamado Love's Alright, bem na textura do R&B dos anos 90, que contou com participações de Elton John, Luther Vandross, Jon Bon Jovi, Stevie Wonder, Herbie Hankock um baita time! Surpreso? Nós também… Esses encontros do show biz só esquentam e fortalecem parcerias. Dois anos depois, estavam novamente Michael e Eddie Murphy, nas filmagens do SENSACIONAL video de "Remember the Time".

E como citação fofa e fraternal, um curto video de Janet Jackson em tributo a esse clássico, de 70 mil visualizações nas primeiras 24 horas de lançamento: o vídeo de "Made For You", da um saudosismo bom e divertido.

Sempre será muito pouco ao falar de um da maiores influências a quase todos os artistas e, de quebra uma das melhores lembranças das quatro últimas gerações (é, o tempo voa). Uma obra que respira os nossos dias, que tem números impressionantes mesmo na era do streaming e passa muito longe da febre repentina das visitas aos clássicos. Obrigado por não parar de nos surpreender, Michael! <3

 

Sobre os autores

Fabio Lafa escreve textos, podcaster, pesquisador musical e consultor em music branding.

Nyack é Dj, pesquisador musical e beatmaker.

Juliano BigBoss é estudioso do marcado do rap, pesquisador, produtor artístico e executivo.

Sobre o blog

Papo semanal e bem descontraído sobre os ritmos que movem cidades. Dicas e mapeamento de cenários musicais - clássicos e emergentes, do analógico ao eletrônico.